A menina que passa

Amne Zinha*

As marcas nos seus olhos tristonhos
O colorido de suas asas a flutuar sonhos e poeira
Numa fantasia faceira
Num último suspiro de vida
Cunhada na terra vermelha

No barro
Na simplicidade da arte
Na delicadeza da aurora
No tempo que não veio

Aquilo que um dia belo dançava entre as flores
Aplacando suas maiores dores
Seus lençóis
Sua sina de menina
Sua coleção de tempestades
De pedras e punhais
De véus acetinados
Da espera tranqüila de quem passa
De quem virá e de quem veio

Triste sina
Dos seus olhos tristes
Da fantasia faceira
De um sonho amanhecido
O Pó.

* Amne é poetinha e acadêmica de Publicidade e Propaganda.
Mais em http://amnenoteatrodepalavras.blogspot.com/

Jornalismo colaborativo, poesia, cinema, música e arte, na edição completa da Kalango, aqui https://revistakalango.wordpress.com/2011/07/11/kalango7/

Leia aqui http://issuu.com/osnidias/docs/kalango7

Ou baixe aqui: http://www.mediafire.com/file/u2fbflk667cyshr/KALANGO7.pdf

3 comentários Adicione o seu

  1. WillWeb disse:

    Amnemos mais a poesia e as proezas dessa poetisa !

    1. Oi menina bonita, quero te ver sempre sorrindo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s