Vida de cão

Imagens: Jean Takada
Em meados dos anos 90, um grupo  preocupado com o abandono dos animais começou a se reunir na Câmara Municipal de Atibaia com o intuito de criar uma associação que, envolvendo a comunidade, promovesse ações de interesse público. Três anos depois dos encontros, nascia a AVA – Associação Vidanimal, decretada de utilidade pública pela Lei 2696, em maio de 1996. O objetivo da Associação é promover e fomentar uma nova filosofia de convivência com os animais, a fim de que a sociedade conquiste, enfim, um status de civilidade. Em parceria com a Prefeitura da Estância, foram criadas ações na área da saúde e, ao mesmo tempo, de amparo ao sofrimento dos animais. Anos depois, em 2001, foi criada uma Lei Municipal para regular a atuação da Secretaria da Saúde, dos agentes do Poder Público e também dos fiscais da Protetora dos Animais, estabelecendo normas e diretrizes nesse sentido.

Em razão do grande número de animais abandonados e vítimas de maus tratos levados para a sede da AVA, ela foi notificada a abandonar o espaço reservado para esse cuidado – o artigo 34 da Lei fixa a quantidade máxima de 10 animais em espaço localizado em área urbana. “Na antiga sede ficavam mais de 30 cães. Todos os dias a sede amanhecia com pedras, pedaços de pau, ovos, laranja, tudo jogado no quintal pelos vizinhos”, desabafa Elsa Sartoratto Takada, diretora da entidade.

O imóvel ficou em péssimas condições de utilização e hoje passa por reformas para, futuramente, gerar renda para as ações da AVA. “O que recebíamos era insuficiente para continuarmos nosso trabalho. Realizamos vários mutirões (de castração), mas o custo é alto, além da prestação de contas. Se não obtivermos 2 mil reais mensais não temos condições de ir adiante”, diz.

Os maus tratos lideram os casos envolvendo os animais, além do abandono. Segundo Anne Yamato, médica veterinária do Santuário dos Animais e voluntária da AVA, diminuiu muito o número de cães nas ruas. “A castração diminui bastante o número de animais nas ruas, mas ainda encontramos muitos filhotes”. Segundo ela, em 2010 foram realizadas 870 castrações, entre cães e gatos. Anne vai além do profissionalismo. “Além de profissional, ela também é protetora. Se recebe animais em condições ruins, ela cuida, muitas vezes até sem cobrar”, observa Elsa Takada.

“Sempre fui protetora”

“Sou protetora desde os meus 10 anos de idade”. Assim Elsa Takada se define, contando histórias que lembram muito sua infância. Ela revela que sempre morou em lugares grandes, em meio a cavalos, vacas, cachorros, enfim, “tudo o que você possa imaginar”. E relembra uma de suas aventuras. “Uma vez um boxer de um tio se perdeu no mato. Andei quase 15 dias atrás dele, mas o achei caído em um buraco, era só um esqueleto, sem as unhas, por tentar sair do buraco em desespero. Pena que já estava morto”. Elsa diz que o legado veio da família. “Quando vejo cães sofrendo, nas casas, não consigo ficar imune. Isso eu herdei do meu pai, ele era protetor e não sabia”. E aponta a posse responsável como uma solução para resolver a questão dos maus tratos. Segundo ela, muita gente recolhe um animal quando é pequeno, bonito, não consome muita ração e não dá gastos. Quando cresce, o animal consome mais, exige medicação, maior higiene e aí aparecem os gastos e, consequentemente, o abandono. “Antes de adotar um animal, é preciso ter responsabilidade. Nosso trabalho é também de conscientização”, alerta.

VEJA TAMBÉM

Com 1.800 animais, ONG vira “campo de refugiados” no Rio Grande do Sul
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/06/19/com-1800-animais-ongvira-campo-de-refugiados-no-rio-grande-do-sul.jhtm

http://noticias.uol.com.br/album/110619cachorros_album.jhtm#fotoNav=10

Nos EUA, contratos especiais garantem cuidadocom os animais depois da morte do dono
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2011/06/26/nos-eua-contratosespeciais-garantem-cuidado-com-os-animaisdepois-da-morte-do-dono.jhtm

Hipermercado é suspeito de capturar e matar gatos no interior de SP
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/06/22/hipermercado-e-suspeitode-capturar-e-matar-gatos-no-interior-de-sp.jhtm

LEIA A KALANGO

Mais sobre jornalismo colaborativo, poesia, cinema, música e arte, na edição completa da Kalango, aqui https://revistakalango.wordpress.com/2011/07/11/kalango7/

Leia aqui http://issuu.com/osnidias/docs/kalango7

Ou baixe aqui: http://www.mediafire.com/file/u2fbflk667cyshr/KALANGO7.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s