Aproveitando a onda do LED…

LED LZ-129Texto e imagem, por Delta9*

Aproveitando que o LED está na onda, vou regredir a pena…

No rock cinquentista menciono uma tríada: Chuck Berry, Little Richard e Gene Vincent.

A tríada do sessentista: The Beatles, The Rolling Stones e The Who (extremamente subestimado, creio).
Anos 70? Deep Purple, Black Sabbath e Led Zeppelin.
Pink Floyd, Bob Dylan, Bill Halley, Elvis Presley, Bo Didley, Jimmi Hendrix, Frank Zappa, Byrds, The Doors, Janis Joplin, Beach Boys, Cream, Jefferson Airplane, The Grateful Dead, Yes, Gênesis etc, são inesquecíveis.
Você é de outro planeta? Quer um resumo do rock? Ouça esses nove que mencionei no início.

Vamos aproveitar a luzinha do LED…
O rock surgiu do rythm’n’blues dos pretos estadunidenses, suados e endiabrados dos anos 1930 e 1940. Pretos, sim, que afrodescendente é o Mandela.
Marginalíssimo, foi redescoberto pelos branquelos ingleses nos anos 60. Um expoente desses azedos é a banda The Yardbirds, que não tocava rock. Blues rasgado. Eis o elo perdido. O Led Zeppelin foi a continuação do Yardbirds.

O Led Zeppelin foi um power trio fudido com um vocalista orgasmático: Sir Robert Anthony Plant! A revista ‘Hit Parader’ o elegeu (mediante voto popular), simplesmente, como o maior vocalista de metal de todos os tempos. Pra mim ele está além dos rótulos. Além disso, trouxe o Bonzo da banda ‘The Crawling King Snakes’, onde também foi vocalista. Eles juntaram-se na ‘Band of Joy’ e depois seguiram para o LED.

O guitarrista do LED, Sir James Patrick Page, (ex-guitarrista e ex-baixista dos Yardbirds) foi um dos mais requisitados músicos de estúdio de Londres. “Um Stravinksy da guitarra”, segundo Carlos Santana.

O baixista do LED, Sir John Baldwin, além de conhecer as manhas de estúdio, era multiinstrumentista. Na verdade, John Paul Jones, era o nome de um almirante escocês, heroi na Guerra Revolucionária Americana e patrono da Marinha dos EUA. O encontro de John Baldwin com James Page foi em circunstâncias mágicas durante as sessões de gravação de “Hurdy gurdy man” de Donovan. Reencontraram-se no álbum “Little games” dos Yardbirds onde John fez os arranjos orquestrais e tocou violoncelo na faixa de abertura. Quando Chris Dreja decidiu abandonar os Yardbirds para seguir a profissão de fotógrafo, John foi a primeira opção de Page para formar os “New Yardbirds”. Pouco depois mudaram o nome para Led Zeppelin (sugestão de Keith Moon, batera do The Who).
O baterista Sir John Henry Bonham (o Bonzo) era um terremoto e criou escola (embora discípulo de Gene Krupa e Buddy Rich, considerava-se o melhor imitador de Keith Moon).

A musica “Stairway to Heaven” apenas virou hino. E sua introdução é “releitura” de “Taurus”, da banda estadunidense Spirit. PLÁGIO é “Rock Around the Clock” sobre “Move it on Over”, de 1947.
Releituras o Led Zeppelin fêz aos montes! Com estilo e qualidade.
“Dazed and Confuzed” surgiu com os Yardbirds, mas é do Jack Holmes, que processou o Page, blá, blá. “Nobody’s Fault but Mine” é um gospel dos anos 1920 gravada por Blind Willie Johnson por volta de 1927. Led Zeppelin mudou a letra.
Mas o grande lance do Led Zeppelin é a riqueza e variação sonora, com alternâncias de compassos e um “mise-en-scéne” sensacional (sem desmerecer o Granfunk Railroad). Eles foram originais. Ninguém tinha feito um som igual antes.

Lennon disse, em 66, que os Beatles eram mais populares que Jesus. Plant disse, em 74, que o Led não apenas era a maior banda do mundo, mas que “estavam muito, mas muito a frente do segundo colocado”. Eles não mentiram.

Jimmy Page disse que tiraria o chapéu para a técnica do guitarrista Van Halen. “Eu não conseguiria fazer o que ele faz, nem conseguiria sorrir como ele”.
Imagina a cena: 300.000 malucos. No palco, Van Halen e Jimmy Page. Só um deles poderia tocar. O que aconteceria? Simples: Van Halen num super-mosh para ouvir, no lugar de honra, o ícone do rock setentista.

Rock in Rio? SWU?? Ora, me poupem!

* Delta9 é extraterrestre, publicitário e atua no Judiciário. Texto publicado na K#19, em setembro de 2011.

Quer ver nossa edição mais recente? Entre aqui: http://issuu.com/osnidias/docs/kalango18?e=0/6883970

Kalango #9 Led Brazil Cover de Osni Dias – apresentação em Atibaia (SP)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s